Hipercifose torácica: quais as possíveis causas e tratamentos?

Avaliação para identificação de dores - Site Dr. Márcio Penna - ortopedista especialista em coluna de Belém - Pará

A hipercifose torácica é mais comum na infância e adolescência e na terceira idade, mas pode se desenvolver em qualquer época da vida. Esse tipo de curvatura acentuada da coluna torácica não está associada a grandes problemas na maioria dos casos, mas há situações que exigem mais atenção e tratamento adequado.

A coluna vertebral é fundamental para nossa sustentação e locomoção, por isso qualquer alteração nessa região deve ser investigada com a ajuda de um ortopedista especialista em coluna.

Neste texto você vai entender do que se trata a hipercifose, quais seus sintomas, causas e as opções de tratamento disponíveis. Acompanhe!

O que é a hipercifose torácica?

A hipercifose torácica é uma curvatura anormal da coluna na região torácica, que compreende a região logo abaixo do pescoço até o fim da área das costelas, sendo formada por 12 vértebras. 

Essa curvatura faz com que a parte superior do tronco se projete para frente, formando a famosa corcunda, que pode ser facilmente notada quando a pessoa está de perfil.

Quando é considerado hipercifose?

Vale notar que a coluna vertebral possui três curvas naturais e uma delas ocorre na região torácica, recebendo o nome de cifose. Entretanto, quando o grau aumenta consideravelmente, temos um caso de hipercifose.

É esperado que a cifose tenha entre 10 e 40 graus. Mas, se ela ultrapassar os 40 graus, estamos diante de uma cifose excessiva.

Dores causadas pela hipercifose torácica - Site Dr. Márcio Penna - ortopedista especialista em coluna de Belém - Pará

Quais os sintomas?

Muitas vezes o paciente não apresenta sintomas além da curva aparente da coluna. Mas, com a evolução do problema, é possível surgirem outras queixas, como:

  • Dor nas costas;
  • Rigidez na coluna;
  • Projeção dos ombros para frente;
  • Fadiga;
  • Sensação de que as roupas não vestem bem.

Dicas para evitar o problema

Essa curvatura excessiva da região torácica pode ser evitada quando está relacionada à má postura. Para isso é preciso incluir os seguintes comportamentos no dia a dia:

  • Evitar ficar muito tempo sentado;
  • Praticar exercícios físicos regularmente para fortalecer a região;
  • Lembrar-se de manter a coluna o mais reta possível, independentemente da posição em que estiver;
  • Não carregar peso em excesso;
  • Manter uma dieta equilibrada.

Complicações da hipercifose torácica

Quando não é feito um tratamento adequado, a hipercifose torácica pode continuar a evoluir, fazendo com que a curvatura se torne cada vez maior e mais visível. Nesses casos, é possível que o paciente desenvolva algumas complicações:

  • Dormência nas costas;
  • Falta de ar, já que a cifose excessiva pode pressionar os pulmões;
  • Problemas digestivos, como refluxo gastroesofágico e dificuldades para engolir devido à pressão nos órgãos;
  • Sensação de fraqueza e dormência nas pernas;
  • Limitações físicas, já que quanto maior a curva mais difícil se torna realizar alguns movimentos simples, como olhar para cima, deitar-se e levantar os braços;
  • A baixa autoestima é outra complicação da condição, já que a deformidade gerada pela doença pode atrapalhar a autoconfiança de adolescentes e causar o isolamento social de idosos.

Quais as causas da hipercifose

As causas da cifose excessiva são inúmeras e é importante conhecer cada uma delas, pois a raiz do problema vai influenciar na escolha do tratamento:

  • Má postura: é a causa mais comum. As pessoas podem assumir uma postura inadequada no trabalho, ao usar o celular ou ao limpar a casa, fazendo com que a curva da cifose aumente lentamente. Nos meninos, é comum que essa má postura ocorra durante a fase de crescimento em uma tentativa de disfarçar a altura. Nas meninas, o motivo é disfarçar o crescimento das mamas;
  • Problemas congênitos: nesse caso a cifose ocorre por alguma má formação das vértebras durante a gravidez;
  • Doença de Scheuermann: é uma patologia da coluna vertebral que influencia no desenvolvimento das vértebras. Assim, elas não ficam alinhadas como deveriam;
  • Osteoporose: essa doença causa fragilidade nos ossos e pode fazer com que a cifose aumente;
  • Fraturas: uma fratura em uma vértebra pode ser o gatilho para que uma curvatura excessiva comece a se desenvolver na região torácica.

É possível corrigir a hipercifose torácica?

Sim. A hipercifose torácica pode ser corrigida por um médico-cirurgião de coluna. O primeiro passo é marcar uma consulta para que o especialista faça uma avaliação física e peça alguns exames para ter mais detalhes do problema.

Assim, o médico irá determinar se a hipercifose é flexível ou rígida, o que é fundamental no momento de escolher os tratamentos.

Tratamento conservador

A fisioterapia é uma das principais abordagens para a correção da cifose excessiva flexível. Durante as sessões são passados exercícios de alongamento e correção postural que vão pouco a pouco reduzindo a curvatura na coluna.

Coletes corretores de postura também são indicados para frear a progressão da curvatura e ajudar no tratamento. Hoje há opções discretas, usadas por baixo da roupa.

Quando o paciente se queixa de dor, o médico especialista em coluna pode receitar analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar os sintomas. 

Tratamento cirúrgico para a hipercifose torácica

Quando a hipercifose torácica é do tipo rígida ou já evolui a ponto de comprometer órgãos internos, a cirurgia torna-se uma possibilidade.

Uma das técnicas utilizadas é artrodese, que consiste na fusão de duas ou mais vértebras na posição correta. Durante o procedimento o cirurgião utiliza enxerto ósseo, que pode ser retirado do próprio paciente ou de um doador.

Em alguns casos também são inseridos parafusos para ajudar na fixação. O procedimento dura de 3 a 5 horas e necessita de um tempo de internação de 2 a 4 dias. 

Embora haja um certo receio quanto a este tipo de intervenção, ela hoje em dia é bem mais segura e com baixos riscos de complicações.

No pós-operatório o paciente deve seguir todas as recomendações médicas, o que inclui cuidar bem dos curativos até a cicatrização e evitar esforços nos primeiros dias.

Geralmente, a liberação para trabalhos que exigem menos força ocorre normalmente com algumas semanas. Entretanto, esforços físicos maiores e exercícios de alto impacto só devem ser feitos após a consolidação completa da artrodese, o que ocorre entre 6 e 9 meses.

Pacientes submetidos ao procedimento para correção da hipercifose torácica devem retornar ao consultório médico ao menos 1 vez por mês até a sua liberação.

Compartilhe:
plugins premium WordPress